Gestão de Viagens em empresas offshore: o que é e como funciona?

Imagem de Plataforma de Petróleo em alto mar, para ilustrar artigo sobre gestão de viagens em empresas offshore.

Encontrar profissionais com conhecimento pleno na gestão de viagens em empresas offshore ainda é um grande desafio no Brasil. Como se trata um setor relativamente novo para o grande público, o mercado ainda se mostra tímido em termos de talentos.

Mas, isso não significa que empresas offshore instaladas no país não conseguem desenvolver suas operações em alto nível. Claro, montar equipes próprias para gerir as viagens é complicado, mas você pode contar com a parceria de agências especializadas para comandar essa etapa.

Para facilitar o seu trabalho, criamos este artigo explicando como funciona a gestão de viagens em empresas offshore e mostrando a importância da terceirização nesse segmento. Confira.

Boa leitura!

O que é uma empresa offshore?

Em tradução livre, “offshore” é entendido como “fora da costa” ou “fora do litoral”. Basicamente, trata-se de empresas ou atividades que acontecem fora da faixa litorânea de um país, por exemplo:

  • plataformas de petróleo;
  • plataformas de gás;
  • navios.

Para o setor de deslocamentos corporativos, a gestão de viagens em empresas offshore significa gerir a logística dos funcionários que trabalham fora da costa. Não se limitando ao transporte na troca de turmas, criando também todo um plano de gerenciamento contínuo – dos trabalhadores em terra e daqueles que estão isolados.

Uma supervisão fundamental para empresas offshore, pois sem uma precisão na troca dos turnos dos profissionais toda a produtividade fica comprometida.

Quais os desafios de uma gestão de viagens em empresas offshore?

Diferentemente de outros setores, que têm suas dificuldades centradas em questões mais burocráticas, a gestão de viagens em empresas offshore demanda cuidados especiais por parte do profissional ou da agência que está à frente de todo o processo.

Isso porque, em geral, as plataformas de trabalho ficam em um local em que a maior parte das pessoas não tem acesso: em alto-mar. A gestão precisa contornar imprevisibilidades e questões macroambientes quase todo tempo, com problemas que vão desde um atraso de voo até uma grande tempestade climática.

Além disso, pelo fato de as atividades serem desenvolvidas em alto-mar, as opções de transporte ficam limitadas. Carros, obviamente, estão excluídos. E mesmo para os barcos é praticamente impossível realizar os trajetos.

Assim, os helicópteros se tornam a única opção viável para realizar o deslocamento dos trabalhadores. E, diferentemente dos aviões, os helicópteros são diretamente afetados pela situação do tempo, conseguindo a liberação para voo somente em climas favoráveis.

Em razão de todas essas imprevisibilidades, a gestão de viagens em empresas offshore precisa ser organizada, mas não impassível. A flexibilidade deve ser a tônica nos planeamentos. Para garantir a segurança dos trabalhadores e a eficiência operacional, o gestor precisa criar planos alternativos que se adaptem às dificuldades que forem surgindo.

O que é importante para que a gestão seja eficiente?

Os desafios citados no tópico anterior tornam muito difícil que uma empresa offshore monte a sua própria equipe para gerenciar as operações de deslocamentos dos funcionários. Como explicado na introdução, trata-se de uma demanda relativamente nova no país, com uma escassez de profissionais técnicos no mercado.

Em uma gestão eficiente não basta entender só de viagens corporativas, pois o offshore é uma variante bastante complexa. Além disso, embora seja uma operação conhecidamente custosa, a verdade é que as empresas desejam que todos os gastos caibam dentro do budget inicial.

Isso só é possível quando a liderança à frente da gestão de viagens em empresas offshore é capaz de organizar a logística de deslocamento de acordo com todas as imprevisibilidades inerentes à atividade.

É preciso preparo para fechar acordos sobre as passagens áreas, negociar com empresas de veículos de transportes, como helicópteros, barcos etc, e ainda fazer um acompanhamento rígido dos trabalhadores que estão isolados na plataforma.

Ou seja, para uma excelente gestão de offshore é necessário experiência no setor de viagens corporativas, um bom relacionamento com fornecedores, um estudo apurados sobre as localidades próximas às plataformas e, principalmente, conhecimento sobre as rotinas offshore.

A boa notícia é que, ainda que seja difícil formar uma equipe própria, aqui no Brasil há TMCs com know-how na gestão de viagens em empresas offshore. Entenda mais no próximo tópico.

Como a Kontik pode ajudar na sua gestão de viagens em empresas offshore?

Como uma das principais referências de gestão offshore no país, a Kontik Viagens conta com uma completa equipe técnica para atender a empresas do setor – profissionais exclusivos e com conhecimento sobre a rotina operacional das plataformas marítimas na costa brasileira.

Além de gerir a logística dos trabalhadores, a equipe da Kontik trabalha com planeamentos que contemplam as imprevisibilidades inerentes à atividade, passando por análises trimestrais ou quando há necessidade de alterações mais contundentes.

O trabalho da Kontik garante não só a segurança dos trabalhadores, mas também o melhor custo-benefício dentro dos objetivos da empresa. Ja que possuimos tarifas exclusivas offshore disponibilizados exclusivamente pelas Cias Aéreas.

Enfim, muito além dos números, uma boa gestão de viagens de empresas offshore significa cuidar do bem-estar e da segurança dos seus funcionários. Trabalhar ao lado de uma agência especialista não só permite que você mantenha a sua produção em dia, como também traz a tranquilidade que os trabalhadores precisam para entrar e sair das plataformas em alto-mar.

Entre em contato e saiba mais sobre a gestão de offshore da Kontik Viagens.