The Saving Game: a importância da gamificação de viagens corporativas

Imagem de passageiros andando por um aeroporto, no por do sol, para ilustrar artigo sobre gestão de viagens corporativas, através da gamificação que o The Saving Game oferece.

O fluxo de altas quantias financeiras é um fator inerente ao setor de viagens corporativas. Empresas chegam a investir milhões anualmente para que os seus colaboradores se desloquem com segurança e tranquilidade. E para garantir um bom custo-benefício desse tipo de investimento.

Porém, além do excelente trabalho das TMCs, as empresas devem contar com a colaboração dos seus funcionários. Eles precisam respeitar as políticas da empresa, possibilitando uma gestão de viagens mais tranquila e eficiente.

Mas, o que fazer quando os colaboradores não seguem as regras? É possível motivá-los sem adotar um sistema punitivo? O “ The Saving Game ” é a resposta. O programa de gerenciamento desenvolvido pela Kontik cria um sistema de pontos para incentivar os funcionários das empresas a seguirem políticas internas.

Quer saber mais sobre o The Saving Game e entender como ele pode ser essencial para a gestão de viagens corporativas do seu negócio? Então, confira a nossa postagem sobre o assunto.

Boa leitura!

O que é gamificação de viagens corporativas?

O The Saving Game é uma ferramenta exclusiva da agência Kontik que gerencia e pontua os funcionários de uma empresa de acordo com suas regras. É, basicamente, uma gamificação de viagens corporativas.

Para entender o TSG, é necessária uma explicação rápida sobre os TMCs: um dos objetivos principais de uma TMC é garantir que os colaboradores do seu cliente consigam se deslocar de acordo com suas necessidades, sempre respeitando as políticas internas da instituição contratante. É a chamada gestão de budget de viagens.

Para que esses clientes se mantenham, as TMCs enviam relatórios sobre as escolhas e rotinas dos funcionários em relação às viagens. Em geral, há um direcionamento punitivo para aqueles que não seguem as regras. Mas, ainda assim, há uma grande dificuldade em manter alguns colaboradores às normas.

Então, o que fazer? O The Saving Game é a resposta.

Como funciona o The Saving Game (TSG)?

Funcionando como uma plataforma adicional, o The Saving Game utiliza as informações geradas pelos relatórios para “classificar” os colaboradores da empresa parceira em relação às viagens corporativas. É como um sistema de pontuação exclusivo para os funcionários da instituição.

Aplicando as políticas de viagem de cada empresa como base, o TSG vai adicionando pontos aos colaboradores gradativamente. Por exemplo, se o funcionário adquire passagens sempre com antecedência e desconto da companhia aérea no processo, ele soma um volume de pontos ao seu perfil.

O processo acontece de forma gradual e considerando alguns critérios – que podem ser definidos pela própria empresa. Ao somar uma quantidade pré-definida de pontos, o colaborador é contemplado com outorga no próprio site do The Saving Game , que podem ser:

  • produtos sem mercado;
  • serviços especiais;
  • viagens pessoais;

Saiba mais:

Mas, porque premiar colaboradores por cumprirem regras pré-determinadas?

Ao mesmo tempo em que você entende o TSG, é possível também que surja o seguinte questionamento: por que premiar colaboradores que estão apenas cumprindo com suas obrigações? Por mais que possa parecer, a resposta para essa pergunta não é tão simples.

A verdade é que você poderia simplesmente responder: “Não faz sentido”. Afinal, como funcionários de uma empresa, os trabalhadores devem seguir as regras sem questionar. Mas, assim como tudo que conhecemos, uma empresa não é uma utopia.

Por mais que conheçam as políticas e as normas, os colaboradores podem encontrar diferentes motivos para tomar decisões próprias em relação às viagens corporativas, por exemplo:

  • informação de horário;
  • favoritos pessoais;
  • pontuação de milhas.

As empresas acompanham essas decisões, pois, como explicado, conforme TMCs repassam constantes relatórios de atualização. Em posse das informações, a escolha mais simples para resolução do problema seria punir o funcionário pouco disciplinado.

Mas, apenas punir aqueles que descumprem as regras pode não ser a decisão mais eficiente para a melhoria do cenário. Então, por que não tentar de outra forma? Por que não incentivar o bom comportamento em vez de punir?

Não se trata de uma ação para “agradar o funcionário”. Em uma visão macro, a gamificação de viagens corporativas tende a ser altamente positiva para a empresa. E são alguns benefícios que apresentamos abaixo.

Maior engajamento dos funcionários

A verdade é que nenhum profissional gosta de ser repreendido. Como chances de uma reclamação surtir exatamente o efeito contrário são altas. E quando você tem funcionários desmotivados, a produtividade da empresa tende a diminuir.

É então que a gamificação de viagens corporativas se torna altamente benéfica. Ao ser premiado dentro de um sistema de pontos, o funcionário entende que vale a pena seguir as regras e cumprir com o combinado diariamente.

A cada nova premiação, a tendência é de mais engajamento e motivação no cumprimento da rotina profissional.

Redução de custos para a empresa

Para garantir a sua operacionalidade durante o ano, as empresas reservam quantias consideráveis ​​para as viagens corporativas. E quando há um mau comportamento dos colaboradores dentro dessa estratégia, os valores podem ser até ultrapassados. Mas, o contrário também é possível.

Quando, em razão da boa disciplina dos funcionários, como empresas obtêm descontos e facilidades na compra dos bilhetes de viagens, os valores reservados tendem a sobrar em caixa.

Assim, o que em algum momento representa um alto investimento para a empresa, torna-se, em certo nível, uma fonte de recursos. Ou seja, como viagens corporativas deixam de ser apenas uma ação de estratégia operacional e passam a figurar também nas iniciativas para o equilíbrio financeiro.

Padronização de serviços

Quando uma estratégia funciona e traz bons frutos para a empresa, ela se torna padrão, algo recorrente na instituição. Deixa de ser uma iniciativa de uma equipe específica e se transforma em uma marca dentro do negócio.

Com a gamificação proporcionando maior engajamento dos funcionários e determinando os custos das viagens corporativas, ela se apresenta como uma ótima alternativa para padronização de serviço.

Dessa forma, os novos colaboradores já iniciam motivados a alcançar seus pontos e a ideia principal persistente, ainda que algumas lideranças sejam trocadas. Em médio prazo, o conceito passa a ser algo natural dentro da empresa.

Enfim, os relatórios enviados pelas TMCs não podem ser vistos apenas como processos burocráticos. A sua gestão de viagens corporativas tende a ser muito mais efetiva com estratégias que agregam real valor a sua empresa e facilitam o engajamento da sua equipe. Permita que o seu colaborador seja um verdadeiro parceiro da sua marca com o The Saving Game.

Acesse e garanta mais economia para o seu negócio com o The Saving Game .