Transformação nas viagens de negócios através do aprendizado

Sendo um projeto conjunto entre empresas do setor de viagens de negócios e a Academia de Viagens, o Business Travel for All busca a reeducação do segmento e um fortalecimento dos players após as consequências da pandemia de Covid-19.

Porém, embora tenha sido impulsionado em razão de tudo que aconteceu na pandemia, o projeto levanta questões que já vinham sendo debatidas na área de viagens de negócios há um bom tempo, como novas práticas de negócio e como tornar os serviços mais sustentáveis.

Para alcançar o seu objetivo, o Business Travel for All se baseia em 3 pilares: Smart, Connect e Target. E é exatamente sobre eles que falaremos neste artigo. Acompanhe cada um em detalhes.

Boa leitura!

Pilar Smart

O pilar Smart foca no desenvolvimento dos participantes da área de viagens de negócios. E, uma ótima maneira de fazer isso, é através da distribuição de conteúdos. Por meio de conteúdos embasados, gestores podem ser reeducados e processos repensados.

Mas, como já diria aquele ditado popular: “Tudo em demasia é pouco efetivo”. Dessa forma, ainda que o conteúdo seja o cerne, é importante saber trabalhar de maneira inteligente.

Para entender melhor esse equilíbrio entre criação e distribuição, confira os pontos que preparamos.

Conteúdo é importante, mas não é tudo

Embora o compartilhamento de conteúdo seja vital para este processo, entendemos que a produção desenfreada pode equivocar o objetivo final.

Em tempos de atenção a qualquer custo, a maior parte das empresas de viagens de negócios desenvolveu o hábito de disparar uma quantidade surreal de conteúdos que, muitas vezes, não respondem às dores de sua audiência / clientes.

Esse é um problema que se vê também em relação à tecnologia. A discussão sobre transformação digital está em voga e, erroneamente, muitos gestores acreditam que o investimento aleatório em ferramentas levará a sua empresa para era digital.

A questão é que toda e qualquer iniciativa precisa ser feita de forma estratégica, garantindo que elas alcancem as pessoas certas e tragam os resultados esperados.

Por isso, acreditamos no desenvolvimento de conteúdos educativos, relevantes e que proporcionem transformação real ao negócio.

Repensar negociações e processos

Outra ótima forma de garantir o desenvolvimento do setor de viagens de negócios é repensar o modelo de negociações e de processos. E, como explicado na introdução, embora seja uma abordagem dentro do BT for All, essa já é uma discussão importante do segmento de viagens de negócios.

Há uma busca por maneiras de transformar os processos e as negociações em serviços mais humanos, ágeis e transparentes.

Para isso, é importante que os stakeholders coloquem na mesa todas as informações e condições de forma clara para que as negociações sejam mais objetivas e justas, tornando os processos de concorrência, por exemplo, mais fáceis de serem analisados.

Com um setor mais transparente, onde todos os players trabalham dentro do mesmo cenário, é possível um equilíbrio nas negociações e maior qualidade nos serviços oferecidos.

Pilar Connect

Muito além da tecnologia e das ferramentas, o Connect é o pilar do engajamento. Um incentivo à conexão entre todos os participantes da indústria.

Até porque, para tornar o primeiro pilar possível, é fundamental existir um espaço para discussões saudáveis e definições de novas práticas de mercado, onde todos os players estão cientes de como as coisas acontecem.

Além de manter as pautas alinhadas, o engajamento promovido pelo “Connect” favorece o networking entre TMCs, fornecedores e os demais. E com toda essa integração, criam-se redes temáticas para geração de conteúdos que agreguem, de fato, valor coletivo.

O resultado é exatamente o que foi proposto no tópico anterior: uma ação estratégica. Os conteúdos são gerados para que sejam propagados e discutidos com toda a indústria.

Pilar Target

Para ligar toda cadeia de viagens de negócio, o Business Travel for All precisa começar a integração pelos seus próprios pilares. E isso o projeto faz muito bem.

Enquanto o pilar Smart trabalha o desenvolvimento e o Connect o engajamento, o Target foca nas pesquisas e compartilhamento. Com isso, o projeto mantém uma linha de organização para atingir de forma efetiva o seu público-alvo:

  • fornecedores de serviços para o setor;
  • clientes de viagens corporativas;
  • TMCs.

Reservar um pilar para as pesquisas é importante, pois não adianta criar conteúdos ou discutir pautas com informações desatualizadas. A verdadeira mudança só é possível quando os grupos trabalham com dados atuais e se desvencilham de falácias e fakes news. O segredo aqui é converter dados em informações estratégicas.

Mas, para que tudo funcione como o esperado, é necessário que a capitação e o compartilhamento de informações sejam globais. Desta forma , é possível criar diretrizes de boas-práticas que serão sempre compartilhadas e discutidas para que cada stakeholder defina sua estratégia.

Enfim, não é à toa que os 3 propósitos principais Business Travel for All são: desenvolvimento, conectividade e uso de dados. Dentro desses objetivos encontra-se um planejamento de mudança real do setor, uma transformação que traga segurança para a área de viagens de negócios e confiança para que os todos os players voltem mais bem preparados depois desse período de maior dificuldade.

Gostou do artigo? Não pare agora, continue no nosso blog e entenda ainda mais sobre o projeto Business Travel for All.